FÉRIAS, GAMES E ARQUITETURA

Sua opinião 
Se com a chegada dos games eletrônicos, a infância e adolescência ficaram mais sedentárias, um novo conceito de jogo pode reverter essa situação, mudando a relação entre jogadores, a arquitetura e a cidade.

O conceito de Augumented Reality tem sido testado trazendo os games eletrônicos para a experiência física nas ruas.

É o mundo digital trazido para o real

http://www.youtube.com/watch?v=nVzhh07pFEk

Exigindo o esforço físico dos participantes, esses games prometem criar uma geração muito mais saudável. A Arquitetura e a cidade tornam-se cenário dessa aventura.

Celulares com GPS possibilitam o reconhecimento da posição dos participantes, o que estabelece a ligação do mundo real com o eletrônico.

A pergunta: os espaços da arquitetura e da cidade devem ser criados considerando esses jogos híbridos?

Ao projetarem espaços esportivos os arquitetos sempre consideraram qual jogo aconteceria neles. Então, por que não considerar essa nova modalidade de game em que o edifício, por exemplo, poderia ser o palco?

Devemos nos provocar perguntando: Como poderia ser o edifício em que se jogaria Mario Bros? Como seria o parque para se jogar Pac Man?

Mais uma variável a ser considerada no processo de projeto.

O que você pensa sobre essas possibilidades? Conhece algum game como esse?

Obrigada Fernando e Amanda por, sem saber, provocarem a reflexão para esse post

(3224+3004+280)

3 comentários. Faça o seu!:

Arq.Everton disse...

Toda essa evolução me assusta, sou muito tradicionalista eu acho....
Minha infancia tinha uma divisão mto esclarecida de diversão.... qdo chovia jogávamos doom,quake, 007, mario, sonic e etc, quando fazia sol jogávamos bola... e fui muito emocionante isso

Everto Teles

Anônimo disse...

Não conhecia nenhum game como os destacados no POST. Acredito que é realmente (sic) uma forma de trazer o virtual para o real. Já ouviram falar do FLASH MOB? Prof Fernandez

Gisele Pinna disse...

Everton, interessante essa discussao.
Bem provavel que naquela epoca a divisao fayia sentido, mas agora, com celular na mao, a garotada quer mesmo eh ter tudo conectado.
Soh nao podemos deixar de entender que o mundo sempre esta mudando e cada geracao se diverte de uma forma. Veja, em outra epoca nao havia carrinhos de plastico e escolher a madeira e bater prego ja fayia parte do inicio da brincadeira. O que vc acha sobre isso?

Postar um comentário